Guia de Profissões – Design de Moda

Mais uma participação no nosso guia de profissões! Dessa vez, quem participa é a fofa-querida da Mona Carvalho, formada em Design de Moda e que vai dar uma luz pra quem se interessa pelo mundo da moda!

foto 2

foto 1

Twitter InstagramSite

– Por que você escolheu o curso?

Eu sempre desenhei, e em certo momento da adolescência comecei a desenhar roupas. Fiz dois cursos técnicos no SENAI (de costura e modelagem) enquanto cursava o ensino médio, e tinha certeza que queria ser estilista. Isso acabou mudando ao longo dos quatro anos de faculdade, já que são várias as opções que o curso oferece.

– Quais são as principais atividades da sua profissão?

Como eu faço estampas, e não as roupas em si, meu trabalho é diferente do que de um estilista. O estilista pesquisa tendências, estabelece um tema, pesquisa tecidos, aviamentos, e tudo que engloba a produção de uma roupa, e usa esse material para desenvolver as peças de uma coleção. Já na área de estamparia, existem empresas que possuem o próprio setor estamparia, e outras que contraram o desenvolvimento de estampas de terceiros especializados somente nisso. Quem trabalha com estampas, desenvolve de forma exclusiva o que ilustrará a coleção de um estilista.

– O que você mais gosta no seu trabalho?

Amo tudo que envolve estamparia. Não tinha noção que era isso que queria fazer da vida até minhas primeiras aulas na faculdade. A pesquisa de referências, o desenvolvimento da ideia, a criação dos elementos para a estampa e depois montar tudo isso em um único padrão. O estudo das cores, da harmonia e no fim das contas aplicar no tecido pra ver se todo o trabalho deu certo. Amo tudo.

– Em que áreas o profissional de Design de Moda pode atuar?

A primeira opção que um curso de design de moda te oferece como profissão é a de designer de moda, de estilista; ou seja, você cria uma coleção, pesquisa tecidos, tendências, etc. Mas acredito que essa seja a escolha mais difícil, seja pra entrar no mercado de trabalho ou no quesito inovação; é preciso muito talento e paciência. Além disso, também existe a possibilidade de trabalhar com produção de moda, estamparia, estudo de comportamento de consumo, modelista, etc. Essas são as atividades que eu lembro.

– Quais traços/habilidades são indispensáveis para quem quer entrar no curso?

O que eu acho indispensável pra não ficar com cara de interrogação durante o primeiro semestre é um certo conhecimento em moda. É preciso conhecer um pouco do trabalho dos designers mais famosos, pra entender quando sua professora citar algum deles como referência. Eu não sabia de nada,e tive que correr atrás de muitos livros sobre a história da indumentária. Você precisa conhecer Chanel, Balenciaga, Saint-Laurent, Galliano, McQueen, etc. Quanto ao desenho, já existem softwares que facilitam muito o processo, mas é preciso gostar de desenhar e estar disposto a aprender ou aperfeiçoar sua técnica. E se você não sabe costurar, não se preocupe, você aprende, é só ter paciência e capricho.  O curso (pelo menos o meu, na Belas Artes de São Paulo) tinha poucas matérias exclusivamente teóricas, mas requer muito tempo e dedicação. Exige muito esforço, organização e pesquisa, se quiser se destacar.

___________

A Mona ainda indicou alguns livros que ela leu e que ajudaram bastante ao longo do curso, quem se interessar, segue aqui:

  • O Império do Efêmero – Gilles Lipovetsky
  • A Linguagem das Coisas – Deyan Sudjic
  • 9 Heads: A Guide to Drawing Fashion

Acessem o site dela, lá tem várias das estampas que já criou e aqui embaixo coloquei um vídeo que ela fez sobre o processo de criação de uma estampa dela, ficou demais!

Lindo, né?

Tá curtindo o blog? Dá um curtir na nossa Fan Page 🙂

Guia de Profissões – Nutrição

Bom dia, gente!!! Segunda participação do guia de profissões é da Bruna, uma nutricionista pequeninha e linda! Conheci ela há mais de dez anos, no último ano da escola e resolvi convidar ela pra participar aqui e acabei de descobrindo que ela deu uma mudada na vida profissional ela, vamos ver?

Photo

foto

Merck Instagram Twitter

– Por que você escolheu o curso?

Porque sempre me interessei muito por biologia, alimentação e saúde no geral. Sabia que queria algo na área da saúde, mas nunca fui uma pessoa muito decidida profissionalmente, e sempre tive dúvidas sobre o curso enquanto cursava. Após me formar, tive contato com as 3 principais áreas da Nutrição e não me sentia satisfeita profissionalmente. Foi quando migrei para um outro ramo, que pode ser atuado dentro da Nutrição ou não, que é o ramo de Marketing. No meu caso, eu trabalho com propaganda médica para um laboratório de remédios, mas no meu dia-a-dia também encontro nutricionistas que trabalham com propaganda de produtos nutricionais (suplementos, complementos e vitaminas).

– Quais são as principais atividades da sua profissão?

Na profissão que eu exerço atualmente (propagandista de medicamentos), o foco é realizar a propaganda dos medicamentos para médicos. Dentro da Nutrição, um propagandista realiza a propaganda para médicos e também para nutricionistas. Nesse ramo, fazemos propaganda dos nossos produtos e explicamos as principais características aos médicos, como apresentação, posologia, indicações, interações medicamentosas, contra-indicações. O foco é convencer o médico a prescrever o nosso produto. Trabalhamos também analisando o mercado dos nossos produtos e acompanhamos a evolução de nossas vendas, além também de acompanhar um pouco o estoque dos nossos produtos nas farmácias.

– O que você mais gosta no seu trabalho?

Posso dizer que hoje já sei o que quero ser quando crescer! É maravilhoso trabalhar neste ramo. É difícil encontrar alguém que atue na propaganda médica insatisfeito. A vantagem principal de trabalhar neste ramo é, sem dúvida, a remuneração. Os laboratórios pagam muito bem os funcionários, e a média de salário varia entre 5 e 15 salários mínimos, além de todos os benefícios (carro, combustível, prêmio, participação nos lucros, vale-refeição, plano de saúde, plano odontológico, e por aí vai…).

Outra vantagem de trabalhar neste ramo é o fato de um dia nunca ser igual ao outro. Cada dia temos desafios diferentes, estamos em lugares diferentes, conhecemos pessoas diferentes, fazemos amizades… O horário também é mais flexível do que o de um trabalhador que trabalha em uma empresa local.

– Quais traços/habilidades são indispensáveis para quem quer entrar no curso?

Como a Nutrição atua em diversos ramos, ela oferece um leque de opções que se enquadram em diversos perfis. Mas o que eu acho essencial em um profissional da área é o interesse pela parte de Biologia, Química e saúde no geral. O curso inteiro é baseado nos processos biológicos e fisiológicos do organismo e nos elementos e reações químicas dos alimentos.

Para atuar na área específica em que eu atuo (Marketing), é importante ser uma pessoa comunicativa, desenrolada, persuasiva e auto-confiante, além de gostar de desafios e estar preparada para trabalhar com metas.

– Em que áreas o profissional de Nutrição pode atuar?

– Marketing: propaganda médica e propaganda nutricional (visitando médicos e nutricionistas e representando laboratórios nutricionais, como Nestlé, Abbot, Support, entre outros).

– Nutrição Clínica: um nutricionista clínico trabalha em hospitais, utilizando da alimentação para a recuperação de doenças no geral, além de  orientar nutricionalmente os pacientes que recebem alta para que eles dêem continuidade a uma dieta específica, a fim de que eles mantenham a saúde e previnam doenças. O nutricionista clínico também pode atuar em consultórios e ambulatórios, atendendo pacientes a fim de elaborar planos alimentares específicos, de acordo com a necessidade de cada um.
– Alimentação Coletiva: um nutricionista desta área trabalha com produção de alimentação, em cozinhas industriais. Ele é o responsável por gerenciar a equipe, planejar cardápios, acompanhar os processos, realizar pedidos e supervisionar o serviço, além de garantir a implantação e execução das leis da Vigilância Sanitária em seus serviços (restaurantes, hospitais, creches, etc.).
– Saúde Coletiva: um nutricionista desta área geralmente é concursado, trabalha para o governo ou para o município. Ele é o responsável por aplicar os programas de alimentação do governo em sua cidade, prestar atendimento a comunidades carentes, fiscalizar as leis da Vigilância Sanitária e atuar em diversos programas do governo federal, com o foco na saúde pública.
– Ensino: o profissional nutricionista pode também se dedicar ao ensino (docência, pesquisa, supervisão de estágios, extensão) e à coordenação de cursos de Nutrição.

________

O que estão achando da seção? Eu estou amando ler os relatos!

Beijos

Guia de Profissões – Design Gráfico

Olá!!! Hoje o post é uma novidade! Tenho recebido muitos e-mails de pessoas que estão em dúvida sobre que carreira seguir, sobre o que fazer na hora de escolher a faculdade… Muitas pessoas me pedem dicas sobre algumas profissões  e cursos e eu, infelizmente, não posso ajudar… Então eu resolvi convidar algumas pessoas que conheço e que já exercem suas profissões para falar um pouco sobre elas… Estou tentando pegar as áreas mais variadas possíveis! Espero que gostem dessa nova seção do blog.  A estreia vai ser com a Rafaella Nunes que foi uma fofa e aceitou prontamente ao meu convite pra participar da nova seção!

foto 2

fotoInstagram –  Twitter – Portfólio (está um pouco desatualizado, mas super já vale!)

– Por que você escolheu o curso?

Na verdade, na época em que eu fiz faculdade, ainda não havia nenhum curso de design gráfico em Fortaleza, então eu me formei em publicidade. Durante toda a faculdade, eu sempre foquei muito em direção de arte, e assim que me formei, cursei uma pós-graduação em Design Gráfico. Desde muito novinha eu sempre gostei de desenhar, trabalhar com colagens, com imagens, com criação em geral. Ainda cheguei a prestar vestibular para outras faculdades, mas acabei optando por Publicidade porque trabalhar criando me dá uma satisfação muito grande.

– Quais são as principais atividades da sua profissão?

Existem muitas possibilidades dentro do design gráfico. Você pode trabalhar com ilustração, com editoração, na criação de vídeos, logotipos, identidades visuais, propagandas, websites… No meu caso, eu trabalho como freelancer, mas também sou a diretora de criaçao e design de uma distribuidora de filmes clássicos no Brasil, a Classicline. Eu trabalho fazendo as capas, os cartazes, catálogos e todo o material gráfico que eles precisam.

– O que você mais gosta no seu trabalho?

Criar  é sempre uma satisfação muito grande pra mim, mas um dos momentos que eu me divirto mais é a parte de fechamento de conceito e pesquisa de referências que servirão de base para a criação. É quase como se eu pudesse enxergar pedacinhos de cada coisa se transformando em possibilidades do que ainda está por vir.

– Em que áreas o profissional de Design Gráfico pode atuar?

Como eu citei anteriormente, existem tantas possibilidades dentro da profissão, que fica difícil nomear todas. Mas, atualmente, os ramos ligados à vídeo e à web estão mais em alta. Infelizmente, preciso ressaltar que a remuneração não é lá das melhores, mas a criatividade também ajuda bastante a encontrar novos meios de remuneração ainda fazendo o que se gosta.

– Quais traços/habilidades são indispensáveis para quem quer entrar no curso?

Ao contrário do que se imagina, você não precisa saber desenhar pra prestar uma faculdade de design gráfico, embora isso possa te ajudar em alguns setores. Acho que a maior necessidade é ser uma pessoa que goste de trabalhar com criação. Se você tem paixão por isso, essa provavelmente é a sua área, mas um dos meus conselhos é: aprenda a se desprender do que você está criando para os outros. Frequentemente você vai encontrar clientes chatos e difíceis, que vão te pedir que você quebre várias das regras e conceitos que você estudou com afinco, conhece e aplicou por saber que eram as escolhas mais adequadas. Às vezes, eles vão escolher a opção mais feia de todas as que você der e é difícil não se sentir frustrado com isso. Tente argumentar à favor do “bom design”, mas se ainda assim isso não funcionar, respire fundo, analise bem a situação e siga em frente (ou não) – a vida inteira é cheia dessas pedras no sapato e decisões precisam ser tomadas, principalmente quando há contas para pagar. E isso vai te ensinar a valorizar e se dedicar ainda mais aos trabalhos gostosos de fazer, clientes legais ou mesmo a projetos pessoais. E quando esses dão certo, a satisfação sobrepuja facinho as chateações que você teve que encarar.

_________

É isso, pessoal, espero que gostem! E queria aproveitar pra pedir pra você curtirem a Fan Page do blog que fiz! É só clicar aqui.