Roteiro de Viagem: Lisboa – Parte 1

Em julho de 2017, eu e o Bruno fomos a Portugal e eu prometi que faria um post sobre a viagem. Adivinhem? Esse post nunca saiu! Mas antes tarde do que nunca, né?

Fomos no verão… NÃO subestimem o verão português! rs. Passamos alguns dias de muito calor por lá. Primeiro conselho que eu dou é: se possível, alugue um carro. Ficamos em Lisboa, mas por estarmos com carro conseguimos ir a muitos lugares nas redondezas que valem MUITO a pena.

Onde comer e beber em Lisboa?

Achei que um post seria suficiente, mas conforme fui escrevendo, achei mais prudente separar em algumas partes. Vou começar logo por esse tema porque se tem uma coisa que não dá pra reclamar é da qualidade, da variedade e dos preços das comidas. Come-se muito bem em Lisboa! Ganhamos alguns quilinhos, mas valeu cada caloria ingerida.

pensao-pinkwineNo primeiro dia que saímos à noite, fomos andar pelos arredores da Rua Cor-de-Rosa… No século XX, era reduto de muitos bordéis frequentados por marinheiros. O que antes era a casa das prostitutas, hoje é uma das ruas mais movimentadas de Lisboa por turistas. Muitas das casas foram mantidas e transformadas em bares, baladas e restaurantes.

Pensão do Amor entra, pra mim, na lista de lugares imprescindíveis de se visitar em Lisboa. Por uma portinha na Rua do Alecrim, você entra e já nota nas paredes das escadas, com frases eróticas e desenhos de mulheres, o clima do lugar. Estofados vermelhos, luzes reduzidas, frases de poetas portugueses nas paredes e bonecos em posições do Kama Sutra no banheiro não deixam dúvida sobre o que funcionava lá anos atrás.

A sala de pole dance foi mantida e lá, andando pela casa, em uma das portas você se depara com uma livraria de livros eróticos e uma loja de produtos da mesma categoria. No último salão funciona um restaurante, mas o clima do lugar é bem de bar. A foto que tiramos foi em um Photo Booth lá dentro.

Ainda pelos arredores da Rua Rosa, entramos no Pink Wine Point, um bar com muitos drinks deliciosos, mas com ambiente bem informal. Acredito que seja similar a muitos dos bares da região. Se estiver com o tempo apertado, priorize os antigos bordéis.

zerozero-ginloversA pizzaria ZeroZero é pra aqueles que amam uma boa pizza! Os ingredientes são 100% italianos e é uma das melhores pizzas que já comi na minha vida… elas são individuais, MUITO bem servidas e, por alguma razão, eu que só consigo comer 2 pedaços de pizza no Brasil, devorei a minha inteira. Ficamos na parte externa do lugar, o ambiente é muito gostoso. É difícil resistir a charcuteria deles na saída. É possível comprar queijos e presuntos italianos da melhor qualidade lá mesmo!

Apenas 120m adiante da ZeroZero, está um dos meus lugares queridinhos da viagem! O Gin Lovers. O nome fala por si só, né? É o paraíso dos amantes de gin! O Gin Lovers fica dentro do centro comercial Embaixada. A construção é originalmente um palácio do século XIX. Lá dentro tem lojas de roupas e artesanato local e o paraíso do gin é o centro do palácio junto com o restaurante LESS. Como estava um dia gostoso de verão, sentamos na parte externa também. São marcas de gin do mundo inteiro e garçons e bartenders que entendem MUITO do assunto. Lá você pode comprar garrafas, especiarias e acessórios de G&T e provar combinações deliciosas.

Vale a pena perder um tempinho dando uma volta a pé pelo bairro Príncipe Real depois de sair da Embaixada. É um bairro residencial, com muitos verde dos parques, vários lugares charmosos e restaurantes gostosos. Queríamos MUITO ter ido em um chamado A Cevicheria. Ouvimos falar muito bem da comida deles e ficamos encantados com o lugar quando fomos, mas estava muito lotado e a fome não nos deixou esperar.

pavilhao-topochiadoUm casal de amigos portugueses nos levou em um bar que é um dos favoritos deles. Acho legal viver as cidades que visito com pessoas locais, tem lugares que só elas conhecem. O bar é o Pavilhão Chinês! O cardápio de drinks é infinito, mas não é isso que impressiona! O que impressiona é a estrutura do lugar que tem mais de 5 salões temáticos distribuídos em 250m² que abrigam uma coleção de brinquedos com mais de TRINTA MIL itens. Há mais brinquedos expostos no Pavilhão Chinês que no próprio Museu do Brinquedo em Portugal. No mesmo local funcionou como uma mercearia entre 1901 e 1980. O dono já faleceu, mas hoje o lugar é mantido pela família. Vale a pena a passadinha pra um drink e uma partidinha de sinuca.  Já o Topo Chiado é um restaurante MUITO gostoso que fica no topo de um prédio pertinho do Elevador Santa Justa que é um ponto turístico da cidade bem conhecido por sua vista. Nós optamos por não subir no elevador quando nos demos conta de que a vista dele seria a mesma do restaurante que estávamos… No mesmo lugar, no verão, acontecem sessões noturnas de cinema ao ar livre. O clima é muito gostoso!

Red-Frog

Fachada do Red Frog em Lisboa (fonte: trendy.pt)

Em uma travessa da Av. Liberdade, a Champs-Élysées de Lisboa, tem uma porta preta grande com  um sapo vermelho na parede ao lado da porta. Nenhuma palavra, nenhum letreiro, nada. Esse é o Red Frog. Nos aproximamos da porta, tocamos a campainha abaixo do sapo que dizia “press for cocktails” e aguardamos. Em pouco tempo uma moça veio nos buscar na porta, descemos as escadas e chegamos em um salão de luz muito baixa, com pessoas falando aos sussurros e muito aconchegante. Lemos as regras da casa… entre elas: não fotografar com flash, celulares no silencioso e homens não devem se aproximar de mulheres, mulheres que devem dar o primeiro sinal.

O Red Frog já foi eleito o melhor bar de Portugal e está na lista do 100 melhores bares do mundo! Os drinks preparados no balcão sob os olhos dos clientes são verdadeiras obras de arte! Não conseguimos fotografar lá dentro por causa da luz realmente muito baixa, mas selecionei algumas fotos no site evasoes.pt pra vocês entenderem o que eu tô falando!

A inspiração do Red Frog vem dos speakeasy dos anos 20, quando ainda existia a Lei Seca nos Estados Unidos e os bares tinham todos esse ar de proibidos… Definitivamente vale a ida!

timeout-butchers.png

O Time Out Market é um lugar enorme na região do Cais do Sodré, em Lisboa, que une vinte e quatro restaurantes, oito bares, vários estabelecimentos comerciais, uma academia e uma sala de espetáculos sob o mesmo teto.

Inaugurado em 2014 e idealizado pela Revista Time Out, o lugar é uma concentração do melhor da gastronomia Lisboeta. O restaurantes rodeiam o lugar e o centro é uma grande praça de alimentação com mesas para compartilhar, então se estiver em busca de uma refeição mais intimista esse definitivamente não é o lugar ideal. A ida vale muito a pena, mas vá com tempo porque escolher o comer pode ser um verdadeiro desafio!

A região da Expo, na parte “nova” de Lisboa, tem muitos restaurantes. É muito comum ver mares de pessoas engravatadas se distribuindo pelo bairro na hora do almoço, devido a concentração de empresas na região. No dia que fomos ao Oceanário, aproveitamos pra almoçar por lá… Nossa escolha foi o Butchers, um lugar indicado por um amigo.  O forte do restaurante são as carnes, então amantes de carne não podem deixar de ir! Eles têm cortes especiais e são muito conhecidos pela maturação da carne que servem. O ambiente é MUITO gostoso… O Bru pediu um dos cortes especiais e aprovou, eu pedi um ceviche que foi o mais diferente que já comi até hoje: com leite de coco e manjericão!

omercado.png

Agora por último, mas não menos importante… O Mercado! Ele fica na Costa da Caparica, apenas alguns minutinhos de Lisboa. O restaurante, que fica sob o comando do chef David Ortega foi o único restaurante que voltamos não duas vezes, mas TRÊS! Considerando que Lisboa tem infinitos restaurantes maravilhosos e que só ficamos pouco mais de uma semana por lá, esse fato é o maior dos elogios.

O lugar é super descolado, tem um ambiente informal bem característico do litoral com comida de alta qualidade. A decoração do lugar é de muito bom gosto. Pra mim fica muito difícil dizer que prato vocês devem pedir porque TUDO que pedimos é impressionante, mas vocês não podem ir embora sem provar as guiozas de camarão e o ceviche deles. É de comer de joelhos!

pasteisdenata

As duas principais redes de Pastéis de Nata que estão espalhadas pela cidade

Os pastéis de nata estão por toda parte e PRECISAM ser consumidos! Duas coisas eu aprendi: pastel de Belém, como eu chamava aqui, é só na casa dos Pastéis de Belém… em todo e qualquer outro lugar, chame de Pastel de Nata. Fui corrigida logo no primeiro dia em Lisboa… O Bruno acredita piamente que nos Pastéis de Belém o pastel é muuuito melhor que em qualquer outro lugar de Portugal, já eu acho que não tem tanta diferença assim. Na dúvida, prove todos!

Pra encerrar, uma dica: os vinhos verdes que aqui pagamos em média 60 reais, lá você encontra por 3, 4 euros em todos os lugares. Mesmo nos restaurantes, o preço médio fica entre 6 e 8 euros, APROVEITEM. Meus preferidos são: Casal Garcia, Casal Mendes e Adega Guimarães. E pra quem é apaixonado por Gin Tônica como eu, Lisboa é o paraíso, estão anos luz na nossa frente… harmonizam os gins de acordo com cada marca, as cartas são enormes e eles entendem MUITO do que tão fazendo, tem uma cultura muito forte do gin por lá, vale a pena comprovar!

Bom, espero que esse mini guia ajude quem está com passagem marcada pra Lisboa… ele demorou muito porque, de fato, é muita coisa pra falar. Logo logo publico a parte dois!

Beijos!

Segue lá também: YouTube | Instagram | Facebook | Twitter

2 comentários sobre “Roteiro de Viagem: Lisboa – Parte 1

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s