Vestindo conforto

Toda vez que me pedem pra fazer posts sobre “looks”, eu  me questiono o porquê, já que existe uma única palavra de ordem nas minhas escolhas ao me vestir: conforto. Aí entendi que existe muita gente que tem a mesma intenção, mas por algum motivo, se sente inseguro na hora de se vestir por achar que vai estar sem graça, sem personalidade e tudo mais que dizem que é quando uma mulher não sai montada em roupas de revista.

Bom, antes de começar com meu desafio de 5 dias sem peça preta (que vocês devem estar acompanhando no instagram), tinha decidido clicar um look por dia durante 3 dias da semana e dividir com vocês pra ilustrar que não precisa seguir regra nenhuma, a ideia é ser feliz sendo o que a gente é e vestindo o que nos deixa confortável. Ser bonito, pra mim, é poder correr na rua sem se preocupar se o salto vai entrar em um buraco na calçada.

post blog

Impressionantemente essa foi uma semana com menos looks pretos da cabeça aos pés (vitória! \o/). A cor do suéter do primeiro dia foi a coisa mais ousada dos últimos meses. Há um tempo fiz uma análise de coloração pessoal com uma personal stylist e descobri uma paleta de cores que caem bem em mim e apesar de ter, sim, muita cor escura, tem umas que pareciam absurdas pra mim como essa e quando dei uma chance, amei! Um dia faço um post sobre essa análise aqui, é incrível.

Acho engraçado quando alguém elogia a forma com que me visto e quando vou fotografar, eu simplesmente tenho uma calça (99% das vezes – tenho quase 10 calças pretas!), um tênis e um casaco ou suéter. Acho que estar confortável com quem é e usar peças que fazem a gente feliz faz com que o conforto transcenda o interno e acabe sendo agradável pra quem vê. Se você se sente confortável em roupas justas, curtas e saltos, use e abuso disso tudo! Se não, tudo bem, vai de tênis e camiseta mesmo. A gente é lindo quando resolver se vestir pra si mesmo!

Eu sempre tô de óculos e acho que precisar de óculos é uma super chance pra dar uma gracinha! Eu tenho trocentas armações, mas nesses 4 dias usei só duas que são AMOR quando a ideia é estar confortável… Isso porque as lentes ficam transparentes quando tô em lugares fechados e escuras quando tô na rua (sim, maravilhoso, eu sei <3)

Sim, são os mesmos óculos dos looks. Lentes Transitions é amor!

Sim, são os mesmos óculos dos looks. Lentes Transitions é amor!

Eu me diverti fazendo esse post e tô me divertindo com o desafio dos looks no instagram, vou fazer mais vezes!

Segue lá também: YouTubeInstagram | Facebook | Twitter

Vamos aliviar a barra do amor?

O amor supera tudo. Quando se ama, todas as dificuldades ficam pequenas. Quem se ama arruma um jeito de ficar junto. Amar basta. Quem tem amor, tem tudo.

Gente, vamos aliviar a barra do amor? Tá pesado pra ele… É muita responsabilidade, não é justo com ele. O amor é frágil sim, e ele é apenas um elemento dos relacionamentos, um elemento importantíssimo, mas ainda assim só um elemento. McCartney e Lennon repetiram tanto “all you need is love” que a gente acabou acreditando. Vamos falar sobre isso? Amar somente não basta.

Um dos maiores aprendizados que tive com a maturidade foi sobre o amor. Foram muitos anos de criança/adolescente vendo histórias de amor, contos de fada, comédias românticas americanas e isso tudo me fez criar uma imagem completamente utópica e deturpada do amor, esse sentimento que eu ainda nem tinha sentido. Estava esperando o grande príncipe que me faria morrer de amor e que me preencheria por completo e me respeitaria e construiria ao meu lado um mundo mágico e só nosso. Mas que armadilha…

Aí a gente se apaixona pela primeira vez e vê que o buraco é mais embaixo. E aprende algumas coisinhas, aí se apaixona de novo e desconstrói outras coisinhas. E aí acaba de novo e se apaixona de novo e descobre outras novas coisas. E aquela imagem romântica do sentimento vai ficando cada vez mais apenas uma das nossas lembranças infantis… Sim, eu acreditava no amor como quem acreditava em papai noel e fada do dente.

A gente cresce achando que sem um amor romântico que termine em casamento, a vida não é completa, a vida não é feliz e a vida não faz sentido. Encontrar o “amor da vida” se torna uma prioridade enorme e existe uma cobrança pra que você não fique pra titia/titio. Já imaginou o que vão falar se você tiver X anos e ainda não tiver casado? Encalhada (o).

love1

De novo, aliviem a barra do amor. O amor acontece algumas vezes na vida e, muitas vezes, é findo. Sim, porque é tanta influência externa e interna que o amor às vezes bate a palma da mão no tatame e diz que não pode mais continuar… E cada vez que o amor não basta, parece que o mundo desmorona e um drama quase Shakespeariano toma conta da gente: ó, céus, e agora? O que será de mim?

Amor não acaba, amor transmuta. Amor vira carinho, respeito, bem-querer ou até mesmo raiva, ódio, indiferença, nojo… E acredito que a evolução do sentimento tem muito a ver com a nossa capacidade de saber a hora de parar. Quanto mais se ignora os sinais, mais arriscado fica. Não falo de desistir, acho sim que é preciso de um esforço pra entender se o que está acontecendo é um vento forte ou um furacão devastador, mas muitas vezes o furacão já veio, estamos no olho dele e nos recusamos a enxergar que já está tudo destruído em volta.

Amar é maravilhoso e é uma tremenda sorte, aos que já amaram ou amam, sintam-se privilegiados. A gente não encontra um sentimento tão bonito desses assim, em qualquer esquina. Amores de verdade podem acabar sim, amores que acabam não são amores que não deram certo e nem são amores de mentira ou fracos. Acho que todo amor dá certo, mas não quer dizer que todos são pra sempre.

A vida e o amor são uma grande viagem de trem. A gente não tem controle nenhum sobre o destino final das pessoas que dividem o vagão com a gente. Nossa estação de embarque é a metade da viagem de alguém, a sua viagem é a mesma de outra pessoa só até certo ponto. Quando a viagem da pessoa acaba e a sua segue, isso não apaga os momentos incríveis que tiveram enquanto conviveram no mesmo vagão, as paisagens que viram, as conversas que tiveram. Às vezes, raras vezes, encontramos em uma estação uma pessoa que acaba descendo no mesmo lugar que você, é a mesma viagem, o mesmo fim, é um compartilhamento mais extenso, mas não menos bonito e forte do que dos que se encontraram apenas entre um embarque e desembarque.

love 2

Ninguém é obrigado a seguir a viagem do outro, a vida é individual. Muitas vezes pode sim ser mais divertida e gostosa em companhia… ter um ombro, um colo, um peito pra se aninhar é maravilhoso, mas não é vital. É preciso entender que nossa viagem é só nossa e que amar alguém não necessariamente significa recalcular a rota. A gente vai até onde é incrível, onde é genuíno, a gente vai até onde a viagem é uma diversão e uma experiência marcante pra gente e pro outro, a gente vai até onde as paisagens são bonitas para os dois. Estar parado na estação enquanto o outro segue viagem é confuso, não sabemos se ficamos felizes por estarmos onde deveríamos estar ou tristes por vermos que a passagem do outro o leva pra outro lugar, é agridoce mesmo. Por algum motivo somos muito pouco preparados pra sentimentos tristes… E o medo desses sentimentos nos leva a fazer coisas que violentam nossa existência e isso nunca vale a pena.

Eu entendi que forçar a barra é uma coisa muito dolorida. Não dá pra insistir num sapato que machuca, num trabalho que nos faz miserável, numa cidade que nos amedronta, numa amizade que nos suga, num penteado que nos dá dor de cabeça e num amor que não nos faz plenamente feliz.

Amar é ótimo, é lindo, é o sentimento mais incrível do mundo. Sentir borboletas no estômago é uma das sensações que mais amo na vida, mas não posso moldar toda a minha vida atrás das borboletas. Amar tem milhares de manifestações, mas insistimos que se amamos amigos, cidades, familiares, nosso trabalho, animais e não casamos, não somos completos. Se tivermos tudo, maravilha, mas se não completarmos o álbum do amor, não há motivo pra ser infeliz, algumas figurinhas são mais difíceis mesmo e isso não faz que com que a coleção fique menos gostosa de se ter.

Amor, desculpe por todo o peso que coloquei em você. Eu sei que você sempre faz o seu melhor. Seja bem-vindo quando quiser, mas vá quando tiver que ir.

Segue lá também: YouTubeInstagram | Facebook | Twitter