A crise dos janeiros

Mais um janeiro e a vontade de dividir com amigos o momento trágico do ano que é ficar mais velha. Indo pro meu vigésimo sétimo aniversário e tento, mais uma vez, me convencer de que eu mereço uma comemoração. Penso em juntar os amigos, preparar alguma coisa, organizar um dia legal. Falho mais uma vez na tarefa de me convencer de que mereço uma comemoração. Tive poucas festas de aniversário, talvez 3 e todas até os 12 anos, o que quer dizer que estou debutando nas minhas não comemorações. Ai, eu queria mesmo, a desculpa já foi grana, hoje nem é mais, eu conseguiria bancar alguma coisa low profile, mas eu penso nos convidados.

Que direito tenho eu de obrigar 10, 15, 20, 30 pessoas a abortarem todos os seus planos de um domingo de verão pra me assistirem enquanto assopro velas? Nenhum. Acho mais justo com as pessoas que elas se reservem ao direito de me darem parabéns (ou não) pelo celular onde quer que elas estejam. Algumas pessoas interpretam mal minha resistência a festas e comemorações de aniversário, uma vez que gosto bastante de ir nas confraternizações alheias. Não entendam mal, amigos, isso não é falta de amor ou consideração com vocês. Reservo-me ao mais próximos (família/namorado/marido e, no futuro, filhos) nessa data porque de todos que amo, esses são os que chegam mais perto da “obrigação” de presenciar o meu parabéns desajeitado enquanto coro e bato palmas descoordenadamente como se o aniversário fosse de outra pessoa.

Sim, a cada texto que escrevo, revelo um pouco mais das minhas loucuras e neuroses ao mundo.

4 comentários sobre “A crise dos janeiros

  1. Beatriz Aguiar disse:

    Comemorar é bom, mas comemorar todos os dias com a pessoa que a gente gosta e nossa família é a melhor comemoração da vida. A gente vai se cansando de assoprar velas e não é por mal né? Eu amo festas e comemorei ano passado, mas não sei, já estou me sentindo uma besta de pensar nisso pra esse ano. Como a gente muda haha..
    Mas você merece toda felicidade do mundo! Você é uma pessoa iluminada e querida por todos ao seu redor. Um beijo!

  2. Amanda Li disse:

    Hari,

    Cada um tem um jeito, não tem problema ser resistente às festas e comemorações. Mas eu quis vir aqui comentar que ninguém tem o direito de obrigar pessoas a abortarem seus planos: quando o assunto é amizade, o convite é feito sem obrigação,é feito por genuinidade… E se as pessoas decidem aceitar o convite e reservar este momento para passar ao se lado, é porque elas também estão ali genuinamente – sem a obrigação, mas sim pelo carinho que sentem por você.

    Eu sou super carinhosa, mas sempre fui muito “podada” pela educação militar do meu pai. Aniversário, para mim, é uma data que abre oportunidades para as pessoas declararem o carinho que sentem por você. E imagina só que coisa mais gratificante receber carinho de quem a gente gosta? Heaven…

    Não sei quando é sua data, mas feliz dia! Feliz novo ciclo, feliz vida!

  3. Adriana disse:

    Hari (se assim posso chamar), pela primeira vez na vida faço um comentário em algum blog alheio. E, eu tive que compartilhar isso. Ou melhor, compartilhar que compartilho da mesma sensação. Você conseguiu definir nessas poucas palavras, sem tirar nem pôr, tudo o que passa em minha cabeça e toda aflição que sinto em Janeiro (meu aniversário é no início de Fevereiro, mas já um mês antes ou uns meses antes, já sinto esse borbulhar por sofrer por antecedência).
    Penso e repenso em comemorar, mas só fica na cabeça mesmo.
    Mas, que você tenha um feliz novo ano pela frente e todo o amor desse mundo!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s