Sobre medos e traumas

Pedro travou em 1,65m enquanto seus amigos chegavam a 1,80m, resolveu entrar em uma academia de uma dessas lutas que a gente vê na TV, foi o jeito de recuperar sua auto-estima. Para os outros, diz apenas que foi porque gosta de lutar. Joana, que hoje tem 22, desde os 18 fala que acha uma besteira dirigir, acha que é preciso contribuir para um mundo sustentável, nunca admitiu que é o trauma daquele acidente aos treze que a impede de procurar uma auto-escola. Marcelo tem medo de altura, Priscila tem medo de avião, Felipe treme ao ver palhaços e Vanessa fica histérica diante de lagartixas. Ainda que digam que avião é o meio de transporte mais seguro do mundo, que palhaços se desmancham com água e sabão e que lagartixas são totalmente inofensivas, nada muda pra Priscila, Felipe e Vanessa. Fabíola prefere transar no escuro – odeia aquela cicatriz na barriga, Janaína não mostra suas pernas há mais de dez anos, Paula só tira fotos do seu lado esquerdo. Renato não fica a vontade com um cachorro por perto, Leandro não consegue entrar no mar, Armando nunca tirou a camiseta na praia. Eu odeio lugares cheios demais, tenho a impressão de ouvir todas as conversas ao mesmo tempo e isso me deixa absolutamente maluca! Lúcia sempre gagueja quando tem mais de duas pessoas na conversa, Mariana vive com a cara fechada – mas é que tem vergonha de sua risada com som de porco, Rui também não sorri, mas é por causa dos dentes tortos que ainda não conseguiu arrumar, já a carranca da Laís é apenas vergonha do aparelho. Ninguém chama mais João pra sair, ele nunca vai mesmo… mas o que ninguém sabe é que há um ano está com uma síndrome do pânico. Fernanda entra em uma festa procurando a saída de emergência, Luciana só senta no lado direito do ônibus – os acidentes geralmente têm o lado esquerdo atingido. Medos, traumas, paranoias… Quem não as tem? Natália é magra demais, Débora engordou muito por causa de um coração partido e nunca mais emagreceu. Raquel não consegue falar em público, Diana fica cheia de manchas vermelhas quando precisa conversar com o chefe. Cada pessoa é um conjunto de acontecimentos e de experiências e nenhum conjunto é igual a outro. E é simplesmente por esse motivo que ninguém – ninguém mesmo – tem o direito de julgar o que acontece dentro dos outros. O que é fácil pra você, pode ser impossível pra mim. O que é besteira pra mim, pode ser um bicho de sete cabeças pra você. Ninguém tem o direito de piorar o trauma de ninguém, ninguém tem o direito de ser o trauma de ninguém… Se alguém travar diante de uma situação e você estiver por perto, dê a mão e procure entender seus motivos. Dê a mão e prometa não soltar, se alguém um dia confiar a você um medo, não deboche, não faça pouco caso – confesse um medo seu também e ofereça-se a ser companhia para enfrentar os bichos dessa vida, juntem suas fraquezas e façam disso uma fortaleza. Só a gente sabe o tamanho do problema que a gente tem e a única coisa que resta aos outros é somar ou sumir.

tumblr_md51sbIrD01qg462ao2_r1_400tumblr_md51sbIrD01qg462ao3_r1_400tumblr_md51sbIrD01qg462ao1_r1_400

17 comentários sobre “Sobre medos e traumas

  1. Mitch disse:

    Adorei a imagem do post,fiquei curiosa sobre de que filme ela é. Seria muito legal se vc dissesse o nome.
    Ps: a compaixão e empatia são marcas fortes do texto, parabéns.

  2. Claudia Lima disse:

    Gostei! acompanho seu blog e Instagram a algum tempo e “conheci” você através de uma amiga em comum, me interessei em continuar seguindo por termos a mesma idade, e me identificar com a maneira que você demonstra levar tua vida. Sempre gosto do que leio por aqui, porque acho que são palavras genuínas e isso falta nos dias de hoje. Sou psicóloga, e se as pessoas tivessem mais atitudes de gentileza e amor, muitas das neuroses contemporâneas que encontro no meu consultório, não estariam tão acentuadas. Resolvi que iria deixar algum comentário desde o post passado, sobre a ilustração, e hoje criei coragem.. só espero não parecer stalker! *rs 😉

  3. Vanessa Freitas disse:

    Nossa, nunca entrei no seu blog, e quando entro me deparo com um texto maravilhoso desses. Parabéns.
    Sempre achei muito ruim da parte dos outros de debochar algum defeito ou medo. E também não suporto que as pessoas tenham um medo e queiram impô-lo em mim também. Cada um com seus gostos e sua vida, se respeitando sempre. Beijo!

  4. Fútil disse:

    Nunca vi um blog tão fútil quanto esse. Nunca vi tantas palavras de merda em um único post. Pessoas são tão fúteis de ler essas merdas e você é mais fútil do que todas elas juntas. Parabéns.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s