Acabei de ler: O Apanhador no Campo de Centeio

Photo

Muitos eram os motivos que eu tinha pra ter muita curiosidade com relação ao livro. Os motivos pra qualquer pessoa querer ler, na verdade, são muitos. Entre eles:

  1. É um dos livros preferidos de Woody Allen e Billie Joe.
  2. O assassino do John Lennon estava lendo este livro minutos antes de tentar suicídio e diz ter encontrado na obra a inspiração pra matar Lennon.
  3. O livro foi relacionado também com o assassinato de Rebecca Schaeffee e com a tentativa de assassinato de Ronald Reagan.
  4. Green Day tem uma música dedicada ao protagonista do livro, Guns and Roses também gravou uma música inspirada na obra literária.
  5. O livro inspirou duas obras cinematográficas: um é o filme “Capítulo 27” que seria a continuação do livro que tem 26 capítulos. Outro é “Teoria da Conspiração” que é protagonizado pelo Mel Gibson que tem certeza que o mundo conspira contra ele e é obcecado pelo livro, sua casa tem centenas de exemplares.
  6. Tem uma cena no fim de Annie Hall (clássico de Woody Allen) que faz referência ao livro.
  7. South Park e Os Simpsons já tiveram episódios com a mesma inspiração.

Então, um dia, meu namorado resolveu me dar o livro de presente, ele também já leu e costumava chamar o livro de genial. O Apanhador no Campo de Centeio é uma publicação de 1951 e é considerado um clássico americano. A data de lançamento desse livro, acredito eu, é a grande responsável pelo impacto dele.

O fato é que eu li as 100 primeiras páginas quase revoltada com a narrativa, com a falta de história com a quantidade absurda de palavrões e expressões antiquadas e com o Holden Caulfield, o protagonista enjoado, mimado e mal amado. Nunca lutei tanto pra não desistir de um livro, mas eu não podia desistir, ainda mais se tratando de um livro que eu estava há anos querendo ler. O fato é que de uma hora pra outra, não sei definir em qual momento exato, o livro me puxou e eu não consegui mais parar até chegar na última página.

Qual o enredo central do livro? Não tem. Durante a minha luta nas cem primeiras páginas, eu ficava perguntando incessantemente pro meu namorado porque diabos essa porcaria desse livro era tão famoso, ficava perguntando qual a moral da história e ele sempre ria dizendo “não tem”.

tumblr_mjz8w5PXJ31rz9112o1_400

Mas, então, por que ele é isso tudo? Porque ele é escrito na primeira pessoa, como se o próprio Holden existisse e estivesse, com seus 17 anos, em posse de um bloco de notas e uma caneta e escrevesse seus pensamentos, muitas vezes desconexos e irrelevantes, com seu próprio vocabulário. Escrevendo sobre seus quase-amores, seus muitos ódios, seus medos e sua vontade de não tê-los. É um adolescente clássico, odeia tudo e todos, amaldiçoa a escola. É um playboy, tem uma família rica, quase nenhum amigo, foi expulso de todas as escolas que estudou, mas é quando se refere à Phoebe, sua irmã de 10 anos, que a gente vê que ali mora um coração. Ela é demais, quase reverenciada pelo irmão, ela tem consciência de tudo que se passa e dá sermões que são sempre ouvidos com muito respeito pelo irmão mais velho. Ele que não escuta nem ama ninguém, dá a impressão de que seria capaz de morrer por Phoebe.

É uma história sobre nada que poderia ter como protagonista qualquer adolescente, acredito que existam muitos Holdens por aí, anti-sociais, contra o sistema, sem paciência, confusos, solitários e muito ingratos. Um adolescente passando uns dias em New York facilmente se identifca com Caulfield.

No fim, terminei com um sorriso no rosto, com a impressão de que conhecia o Holden e de que já estive no lugar dele algumas vezes. O fim é vago, parece que vão vir mais mil páginas, mas acaba. J.D. Salinger foi impressionantemente ousado escrevendo um livro tão cru e tão verdadeiro sobre a mente jovem em uma época super conservadora, ouvir sobre as hipocrisias de uma sociedade vazia por um moleque de 17 anos, com certeza foi um soco em todo mundo que pegou o livro pra ler naquela época. Holden é um covarde, é egoísta, é estranho, é desiludido, é pesado, mas senti falta dele e depois de o ter conhecido, acho que nunca mais terei coragem de largar um livro pela metade.

tumblr_mkn987USpc1qeyaodo1_500

12 comentários sobre “Acabei de ler: O Apanhador no Campo de Centeio

  1. thaiste disse:

    Eu já tinha vontade/curiosidade de ler esse livro antes, agora é ainda mais. Muita gente me indicou mas nunca peguei num pra levar ao caixa e comprar. Vou até dar uma procurada nele por aqui haha

  2. Amanda disse:

    Lembro que quando você ganhou esse livro, você postou no Instagram e eu fui correndo no Skoob (um site para quem aaaama ler! Pode organizar os livros que já leu, que quer ler e etc. Seria ótimo um post aqui sobre ele, Hariana) ver a sinopse do livro e já coloquei como “vou ler” rs. Vendo esta resenha, me deu mais vontade ainda!
    Nessa sua resenha, me lembrou um pouco o livro “Misto Quente” do Bukowski… Não sei porquê rs.

    • Jéh Duarte (@duartejeehh) disse:

      Siiim, eu tbm! Escrevi isso em um cometário logo abaixo ates de ler o seu! Lembra muito por que você tbm fica se perguntando onde a história vai dar, e as vezes sente raiva do Henry (o personagem principal) pelas atitudes dele, ele também não ouve nem ama ninguém e o livro acaba meio sem fim. E mesmo com isso tudo, o livro é incrível!

  3. Ju disse:

    Na boa, você devia se poupar de escrever sobre literatura, assunto sobre o qual obviamente não tem domínio ou gosto algum. Salinger já recebeu várias punhaladas, mas a sua foi demais. Continua a falar sobre roupas e outras amenidades que estava ótimo!

    • Hariana disse:

      Oi, Ju… Eu agradeço a crítica, mas vou continuar falando sobre o que eu achei dos livros que li. Da mesma forma que falo de moda, decoração, design e música, continuarei a falar de livros. Isso não é um blog crítico, não sou profissional em nenhum dos assuntos assuntos. Esse espaço é um hobby meu e que uso pra dividir alguns interesses meus com poucas pessoas que se interessam. Salinger esteve, está e sempre estará passível de diversas interpretações, julgamentos e opiniões e quando alguma opinião divergir da sua, você deveria respeitar… Não considero que nenhuma interpretação, minha ou de outrém, seja uma apunhalada ao escritor. Estranho é ver uma pessoa que nunca se pronunciou, perder seu tempo pra redigir um comentário com um tom superior desses com o objetivo de sei-lá-o-quê. Beijo e um bom dia!

  4. Georgia Domingos disse:

    Eu li esse livro quando tinha 19 anos. Eu era apaixonada pelo filme Igby Goes Down, nunca lembro qual é o titulo certo dele em português, e li que era inspirado nesse livro. Então eu ganhei ele de presente e li, eu adoro como ele é diferente de outros livros, que não tem uma moral da história, só uma história. Depois eu comecei a perceber e notar mais diversas referências a esse livro em coisas que eu via/assistia, tipo as que você mencionou. Eu acho que o J.D Salinger mandou infinitamente bem na escrita desse livro. E como eu era mais adolescente ainda quando eu li, na época eu me identifiquei em várias coisas. Mas confesso que até uma certa parte do livro, eu não tava indo muito com a cara do Holden, mas a relação dele com a phoebe realmente contou pontos, por que eu notei que ele não era tão ruim.
    Enfim, eu acho que poderia continuar e continuar sobre esse livro, então vou parar por aqui!

  5. Jéh Duarte (@duartejeehh) disse:

    Senti a mesma coisa referente ao livro Misto-Quente do Bukowski, do início ao fim. Só que o “Misto-Quente” te faz sentir a mesma sensação horrível que os imigrantes nos EUA sentiam durante a depressão de 30, te faz torcer até a metade do livro para que tudo comece a ficar ok com o personagem principal, mas da metade em diante você percebe que as coisas nunca vão estar ok com ele, e é isso você se torna tão resignado quanto o personagem principal.

  6. inae disse:

    Eu decidi ler esse livro por causa do assassino de John Lennon e foi uma das melhores escolhas que fiz!! Concordo 100% com voce.. livro super chato e parado no inicio e que dá uma raiva absurda de nao entender o que o autor queria dizer com tudo aquilo.. Sou apaixonada por esse livro e ate hoje nao sei porque! hahahaha adorei sua resenha e o seu site 🙂 beijos

  7. ana eliza disse:

    me identifico totalmente com alguns dos comentários que lí, no princípio não entendí a mensagem, estava achando confuso, embora já curtisse o Holden e suas neuroses, depois realmente queria saber dele, até onde ele conseguiria chegar, e realmente o autor ousa, nos deixa meio no vácuo da realidade, de ser humano. Me apaixonei!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s