Playlist #09 – Rainy Days

Oi, gente!!

Essa playlist fiz no fim de semana e estou aproveitando que ainda tenho um tempinho do meu almoço sobrando pra publicar. Aqui em São Paulo tem chovido muito e em algum ponto dos dias, sempre tem ficado cinza. Eu adoro esse tempo chuvoso e acho que existem músicas que super combinam com dias cinzas. Playlist pra deixar rolando no som enquanto se está de bobeira olhando a chuva cair pela janela… Parece meio brega, né? haha mas eu adoro essa melancolia que resulta da combinação do clima com a trilha sonora correta. Espero que gostem da selecao que preparei…

foto

Beijos e ótima quarta-feira pra todo mundo!

Look do dia #6

Bom dia!!!

Mais dois looks de leitoras foram selecionados, se quiser aparecer aqui também, é só mandar o seu para hrnmnk@gmail.com.

O primeiro é da Rafaela Mourão que tem 18 anos e mora em Fortaleza (CE), ela compartilhou coma gente dois looks que ela usou para ir para a faculdade. Confortável é a palavra de ordem, como a gente viu nesse post aqui e a Rafaela mandou super bem  nas escolhas dela… Pra quem quiser mais sobre ela, tem o Instagram dela e o Twitter.

My Photo

O segundo é da Amanda que é de Belo Horizonte (MG) e tem 14 anos! Escolhi esse pra acompanhar os da Rafaela porque super combina com faculdade também. A calça é Zara e a blusa (que eu achei linda) é de uma feirinha da cidade! Ela parece estar super confortável, né? Pra quem quiser ver mais sobre a Amanda, clica aqui pra ver o Tumblr dela ou aqui para ver o blog.

BeFunky_Instant_12

Obrigada por participarem! E quem não participou ainda, é só mandar no hrnmnk@gmail.com que em algum momento vai aparecer por aqui!

Beijos

Playlist da vergonha

Mentira,  não é bem da vergonha porque eu não tenho vergonha dela, mas acho que muitos vão sentir vergonha alheia de mim! Dizem que de médico e de louco, todo mundo tem um pouco. Eu acho que além de médico e louco, todo mundo tem um pouco de brega haha

Sabe aquelas músicas que inexplicavelmente você gosta? Que não têm nada a ver com todo o resto das oitocentas milhões de músicas que você escuta? Não são músicas que eu tenho no meu computador, na maioria da vezes, mas se tocar na rádio, coloco no volume máximo e canto na maior altura possível! Fiz uma seleção pequena, são muitas as músicas ruins que eu gosto haha então esse é mais um passo no nosso relacionamento, gente… Estou abrindo pra vocês meu lado negro musical!

foto-1

Eu preciso confessar que a do Luan Santana, em especial, me faz cantar de um jeito muito vergonhoso. Vou aproveitar essa playlist pra arrumar a casa e mais tarde volto com post novo! Já sei qual é e ele está quase pronto… Vocês andam querendo ver algo em especial por aqui? Me contem! Beijos

Playlist #07 – São Valentim

14 de fevereiro, dia de São Valentim e também dia dos namorados em muitos países. Até parece que no Brasil também é de tantos corações e casais enfeitando as redes sociais hoje (me incluo no grupo de pessoas que se prevaleceu da data alheia pra jogar um coração na rede), mas vocês sabem por que hoje é dia dos namorados?

Então, na Idade Média, o imperador romano mal-amado Cláudio II queria formar um super exército e julgava que isso só seria possível com soldados solteiros e resolveu que, sob o governo dele, o casamento seria proibido. Sem mulher e sem família, os homens se alistariam mais facilmente e se entregariam mais ao exército… Prático esse Cláudio, né? Acontece que havia um bispo, o Valentim, que achou absurdo e continuou celebrando casamentos em segredo mesmo com a ordem soberana de não o fazer.

Infelizmente, Valentim um dia foi descoberto, preso e condenado à morte. Enquanto aguardava o dia da morte encarcerado, Valentim recebia muitas flores e cartas de jovens que diziam ainda acreditar no amor. Ainda preso, ele se apaixonou por uma dessas jovens, a filha cega de um carcereiro que permitiu que ela visitasse o bispo. Reza a lenda que depois de se apaixonarem, a menina recuperou a visão.

Valentim foi decapitado em 14 de fevereiro de 270 e em seu bilhete de despedida à amada, assinou “seu Valentim”, o que virou sinônimo de namorado e o dia passou a ser celebrado pelos apaixonados.

Em 1969, a igreja católica suspendeu a celebração do dia por alegar que não há provas suficientes de sua santidade e seus milagres. A data não é mais religiosa, mas o dia de Valentim nunca mais deixou de ser comemorado pelos que acreditam no amor.

fotoOK, OK, OK! Eu confesso que só fiz um post explicando a origem do dia pra fazer uma playlist. Playlist essa que eu fiz em, no máximo, dois minutos. Acho que se tivesse um dia dos namorados por semana, seria possível fazer uma seleção musical  pra cada um. Será que existe outro sentimento que desperte tanto a musicalidade das pessoas? Enfim, em junho outra playlist dessas aparece por aqui… Hoje fiquem com essa que é quase clichê e tem 20 músicas, metade nacional e metade gringa. Espero que gostem…

Beijos!!

Sobre clichês.

“Que seja doce”

Quantas vezes e em quantos tantos lugares diferentes vocês já não leram essa frase? Há muitos anos iniciei minha vida de Caio Fernando Abreu, os blogs ainda não mandavam no mundo, poucas pessoas tinham Facebook, ninguém entendia direito como o tumblr funcionava e eu precisava peregrinar para encontrar um livro dele. Eu amava, eu era fã, eu achava inacreditável como alguém tão sensível pudese ter existido. Escrevi por muitos lugares passagens dele e uma até selava uma amizade minha (Alô, Maria Isabel! “Em um deserto de almas também desertas…“).

Acontece que de repente e sem mais nem menos, uma enxurrada de Caio aconteceu e eu que tanto reclamo da síndrome underground, me peguei indignada com a banalização dele e queria enlouquecidamente que as pessoas simplesemente parassem de divulgar seus textos. Hoje, depois de muitos anos, eu caio em mim… E tinha como não banalizar? Era ler uma frase e pronto, os mais sensíveis estavam apaixonados e buscando por livros, crônicas, frases, fotos… Estavam com sede daqueles textos carregados de emoção. Banalizou porque é lindo, popularizou porque ainda que se finja o contrário, as pessoas sentem e as pessoas sentem muito. A narrativa dele é primária, não escreve nada rebuscado, nada que exija um grau superior… Poderia ser você escrevendo, poderia ser eu. Poderia… E por que não é? Porque a gente é covarde e é muito mais fácil parafrasear alguém displiscentemente e se esconder atrás de uma assinatura alheia.

caio_fernando_abreu_gr

Onde eu quero chegar? Na verdade não sei se quero chegar em algum lugar. Quero dizer que dentre tantos autores, foi ele quem foi banalizado e isso não deixa de ser um bom sinal. Dá uma pontinha de fé nas pessoas… Ainda que elas não consigam assinar seus próprios sentimentos, é preferível que se encontrem em Caio que em Augusto do Anjos, por exemplo.

É, Versos Íntimos (que é de autoria de Augusto dos Anjos, caso não tenha ficado claro) é milimetricamente escrito, tem inclusive uma musicalidade que só um gênio das palavras conseguiria atingir. É rebuscado, é bonito, é profundo, é até real, mas ninguém quer parafraseá-lo porque é amargo. E de amargo, meu amigo, já basta o que não podemos escolher.

Vês! Ninguém assistiu ao formidável
Enterro de tua última quimera.
Somente a Ingratidão – esta pantera –
Foi tua companheira inseparável!

Acostuma-te à lama que te espera!
O Homem, que, nesta terra miserável,
Mora, entre feras, sente inevitável
Necessidade de também ser fera.

Toma um fósforo. Acende teu cigarro!
O beijo, amigo, é a véspera do escarro,
A mão que afaga é a mesma que apedreja.

Se a alguém causa inda pena a tua chaga,
Apedreja essa mão vil que te afaga,
Escarra nessa boca que te beija!

E é isso que me dá fé. Entre tantas amarguras bem redigidas e historicamente importantes, o Brasil preferiu abraçar aquele que sofria de modo quase infantil e jogava no papel palavras primárias, desesperadas e, muitas vezes, desconexas.

No fundo, é apenas isso que as pessoas querem, as pessoas só querem que seja doce e não deveria haver problema nenhum em banalizar esse desejo. Talvez em coro funcione melhor, né? Então, em uníssono, vamos gritar juntos: QUE SEJA DOCE! (sete vezes)

download

“(…) Quando há sol, e esse sol bate na minha cara amassada do sono ou da insônia, contemplando as partículas de poeira soltas no ar, feito um pequeno universo, repito sete vezes para dar sorte: que seja doce que seja doce que seja doce e assim por diante. Mas, se alguém me perguntasse o que deverá ser doce, talvez não saiba responder. Tudo é tão vago como se fosse nada.”

– Caio Fernando Abreu

Sobre horário de verão e bolhas.

Quando acaba o expediente de trabalho e ainda tem luz na sala, a gente aproveita.

foto 1 foto 2

IMG_4750_final3 IMG_4734_final4

IMG_4760_final2

20130208-155309.jpg
IMG_4790_final1

hrnmnk

Fotógrafo: César Ovalle
<

Playlist #06 – On The Road

foto

Oi, gente!

Como entre hoje e amanhã muuuuita gente vai pegar a estrada, resolvi usar o tema pra fazer a playlist de hoje. Eu dirijo bastante na estrada e se não tiver a música adequada, a viagem fica um saco. O legal mesmo é música alta e cantar no maior volume possível até a cabeça doer!

Não sei se todo mundo aqui já viu Elizabethtown (quem não viu,CORRE pra ver!), mas existe uma parte enquanto o Drew está seguindo o roteiro da Claire na estrada, em que ela escreve ““Some music needs air. Roll down your window.” (algumas músicas precisa de ar, abra sua janela) e, então, começa a tocar a primeira música da playlist. As seguintes foram escolhas minhas, espero que gostem e se cuidem nesse feriado que é o que mais mata no trânsito, sejam prudentes e curtam o feriado saudavelmente. 🙂

Beijos!